Anis Flavigny

Anis Flavigny, mais velho que isso você morre!

Essas bolinhas redondas e brancas, duras como o concreto e perfeitas para peidar os dentes quando você está impaciente, cada uma contém uma semente de erva-doce no centro e é muito perfumada. Sua fabricação remonta ao século 8 e sua receita não mudou desde 1591.

Diz-se que Luís XIV era um grande fã dela e sempre andava com uma caixa de erva-doce no bolso. Sua icônica caixa oval e metálica surgiu na década de 1950, na época em que essas amêndoas açucaradas eram os primeiros produtos vendidos nas máquinas automáticas das estações e do metrô.

Torne-se o doce da viagem, o anis de Flavigny gradualmente alcançou as estações rodoviárias; reina suprema lá hoje, tanto que se tornou uma espécie de souvenir, disponível principalmente em locais de trânsito e em lojas que vendem especialidades francesas para levar de presente para americanos, japoneses e em outros lugares quase todos os turistas.